quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Internações por acidentes de trânsito em Pernambuco crescem 725% na última década

Pernambuco é um estado que já apresentou alguns dos menores índices de solicitação do DPVAT pelo Detran, mas recentemente, foi indicado como o segundo estado com o número mais crescente nesse aspecto. O crescimento surpreendeu especialistas e deixou os pernambucanos em alerta.

De acordo com o DETRAN PE 2020em que se concluiu uma década, esse foi o período de tempo em que Pernambuco ganhou destaque em relação as interações de trânsito.

Apesar dos grandes registros, é interessante mencionar ainda que o estado não fica no ranking das regiões mais violentas do trânsito, pois o índice de morte por intermédio dessa casualidade ainda não superam estados como São Paulo e Minas Gerais.

O que não pode desclassificar o recorrente crescimento de registros de acidente, dos mais variados graus, na área rural e urbana do estado de Pernambuco.


Os números são baseados nas solicitações do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), que registrou um crescimento significativo no número de indenizações.

O DPVAT é o seguro obrigatório dos veículos registrados no país, mas ele só fica disponível para o motorista se o mesmo estiver cumprindo com a taxa referente. Por isso, se você estiver com alguma pendência no Detran, vale a pena consultar multas DETRAN.

Além do DPVAT, um outro fator que serviu de ferramenta para indicar o crescimento alarmante dos acidentes de trânsito no estado foi o gasto do Sistema único de Saúde (SUS).

A partir de dados registrados, calculou-se um gasto superior R$ 3 bilhões que o país teve ao oferecer atendimento aos feridos por intermédio de acidentes de trânsito.

Supõe-se que cerca de 20 pessoas por dia precisem de atendimento em um hospital da rede pública devido a infrações e imprudências no trânsito.


Um outro alerta emitido por essa notícia é a faixa etária dos envolvidos em acidentes de trânsito, que ficam entre 15 e 39 anos, número que preocupa a partir da porcentagem de mortes.

Os índices apontam, principalmente, horários noturnos e feriados como os períodos em que mais são registrados acidentes em Pernambuco.

A grande preocupação dos líderes responsáveis e da população local, é que a flexibilização das leis de trânsito faça com que esse número cresça ainda mais.

Especialistas da área de economia indicam ainda um possível gasto ainda mais significativo dos sistemas como o SUS e o DPVAT, que são diretamente responsáveis em primeiro grau pelas vítimas de acidentes no trânsito.