sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

7 Mulheres que Influenciaram a luta pelos direitos femininos!

Se hoje as mulheres conseguem trabalhar e ocupar cargos gerenciais do mesmo teor de igualdade dos homens, devemos isso a alguns nomes ao longo da história. Algumas figuras foram extremamente importantes para as conquistas femininas. Saiba mais!


Mulheres que influenciaram a luta pelos direitos femininos

A luta pelos direitos das mulheres foi um processo árduo em muitos custou vidas. Por milênios o mundo foi uma sociedade completamente machista, do tipo patriarcal, sendo governada majoritariamente pelos homens. Conheça alguns dos nomes que ajudaram a modificar esta realidade..
Coco Chanel - A francesa de família extremamente pobre aprendeu na sua juventude a grande arte da costura. Para muitos não passa de uma revolucionária no universo da moda, mas seu papel social foi muito além.
Chanel cresceu na sua carreira com o único lema: mulheres precisavam de conforto ao se vestir. Ela foi a primeira com a coragem de remover o espartilho há mais de 20 anos na moda e europeia incluir a calça no vestuário feminino.
E como isso foi importante para a luta pelos direitos femininos? Pela primeira vez as mulheres começaram olhar para si não apenas como objetos decorativos, mas podendo ter voz e vez no momento de se vestir e em seus encontros sociais.
Em sua vida pessoal Chanel também deixou uma grande mensagem para o público feminino. Nutriu um amor por mais de 20 anos com um grande personagem da sociedade francesa e inglesa e nunca se casou. Mostrou que o amor é um sentimento livre e não necessita de aprovação social, e as mulheres poderiam dar vazão a seus sentimentos sem provar nada para sociedade.
Mary Wollstonecraft - O machismo sempre foi tão enraizado na sociedade que escrever um livro falando sobre os possíveis direitos das mulheres era algo irreal. A escritora francesa rompeu barreiras quando publicou a obra "Em Defesa dos Direitos das Mulheres", em 1792. No Brasil o livro foi traduzido por Nísia Floresta.
Nísia Floresta - Nísia foi a primeira feminista no Brasil, o que não deve ter sido fácil porque sua atuação aconteceu ainda na sociedade escravocrata. Enquanto a imprensa brasileira ainda caminha arrumar à popularidade a escritora produzia artigos sobre os direitos das mulheres e dos escravos, rompendo barreiras.
Emmeline Pankhurst - Ela é nada mais que fundadora da União Política e Social das Mulheres, um dos movimentos mais importantes na Luta pelos direitos das mulheres. O movimento sufragista foi um dos mais importantes na luta pelos direitos das mulheres. De origem inglesa, por muito tempo pregou a conscientização pacífica dos congressistas para dar direitos mulheres a voto e melhores salários.


Conquistou muito mais que isso. Um dos feitos mais importantes das sufragistas foi alcançar o direito de uma mãe em primeira instância sobre seu filho. Até o momento os pais eram os responsáveis total pela guarda da criança e poderiam fazer o que quiser com ela sem o consentimento da mãe, inclusive enviar para adoção.
Flora Tristan - Filha de um nobre com a plebeia, Flora viveu no período de 1.800 na França, experimentando o pior que a sociedade poderia dar para uma mulher. Com falecimento do seu pai degustou da pobreza trabalhando em uma fábrica têxtil.
Casou-se em um relacionamento de conveniência para satisfazer a sociedade por ser uma mulher solteira com a mãe viúva. Sofreu violência doméstica e quase chegou a óbito em uma determinada ação do marido, condenado a 12 anos de trabalhos forçados pelo ato.
Toda a sua experiência se tornou militância em busca de melhores condições de vida e direitos para as mulheres. Seus artigos e livros são considerados uma Bíblia para os movimentos feministas e revisados até hoje.

Pauline Roland - Mesmo sendo uma sociedade francesa, Pauline não acreditava que as mulheres mereciam apenas aquilo que a sociedade machista tinha para fornecer. era um escritor influente na sociedade de sua época e sempre que possível conversava com os aristocratas para propagar as ideias feministas em seu meio social.
Marguerite Thibert - Marguerite talvez seja uma das ativistas feministas que chegou mais distante em cargos influenciadores. Ocupou posições importantes na década de 80 na Organização Mundial do Trabalho, lutando juntamente com os gigantes pelos direitos das mulheres. Inclusive foi uma das responsáveis pela licença maternidade.
Falando do movimento feminista nunca se pode esquecer 146 figuras importantes. São as trabalhadoras trabalhadoras da fábrica textil de Triangle Shirtwaist Company, em Nova York.
Depois de diversos movimentos grevistas em busca dos direitos de trabalho para as mulheres, a greve foi fortemente reprimida com o incêndio que matou 146 mulheres dentro da fábrica. A data ficou marcada mundialmente como o dia internacional da mulher, celebrado em 8 de Março.

Nenhum comentário:

Postar um comentário